Make your own free website on Tripod.com

Home | QUEM SOMOS | EMBAIXADA DA CRIANÇA | LINKS UN NEWS | UNICEF | KOFI ANNAN | DADOS UNICEF | DAMA DE FERRO | COLISEU BOX CENTER | EDUCANDO PARA A PAZ | PANTERA | FALTA DE ÁGUA | POBRES NO MUNDO

UN NEWS PORTUGUESE EDITION
FALTA DE ÁGUA

mast_un_news.gif

Falta de água já atinge 2,2 milhões de pessoas. Quarenta por cento da população mundial já enfrentam a escassez de água e 2,2 milhões de pessoas morrem a cada ano por beberem água contaminada; outras 3 milhões são mortas por causa da poluição provocada dentro de suas casas pela queima de lenha ou restos de colheita para cozinhar.

A procura de alimentos está aumentando enquanto a produção deles diminui e metade dos grandes primatas, os animais mais próximos do homem, está à beira da extinção.

Com dados alarmantes como esses, a Organização das Nações Unidas, ONU lançou no dia 13 de Agosto de 2002 um relatório salientando as necessidades de mais apoio ao desenvolvimento para diminuir a destruição e manter a segurança da terra e seus habitantes.

Intitulado Desafio Global, oportunidade global, o documento expõe questões sobre água, saneamento, energia, produtividade agrícola, biodiversidade e saúde, que serão debatidas na conferênca de cúpula da ONU sobre desenvolvimento sustentável, em Johanesburgo, a partir do dia 26 a 4 de setembro próximo.

A proposta da conferência é traçar um plano de aplicação mundial e formar parcerías entre países. Representantes de mais de 100 nações devem participar do encontro.

Ao apresentar o relatório, na sede da ONU em Nova York, o chefe do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da Organização, Nitin Nesai, que será o Secretário Geral da conferência na Capital Sul Africana, observou já haver acordo em cerca de 75% do plano, que vem sendo discutido desde janeiro.

A fase mais difícel será enfrentada em Johanesburgo, nas negociações entre países ricos e em desenvolvimento, embora a conferência não vá produzir nenhum tratado legal.Desai espera "que os governos se compromentam em ações práticas de produção sustentável de energia, agricultura, uso de recurso de água para atender as necessidade das populações e erradicação da pobreza".

Segundo o relatório, com as reservas subterrâneas de água sendo consumidas muito mais rápidamente do que podem ser repostas, dentro de duas décadas cerca de 3,5 bilhões de pessoas - metade da população do mundo - não terão acesso à água potável. Isso já ocorre com perto de 1 bilhão de pessoas, principalmente no Nordeste da África e na Ásia Ocidental.

Nessas regiões e também na América do Norte, conforme prevê o documento da ONU, "restam poucas esperanças de aumentar as terras dedicadas à agricultura".

Insira o conteúdo de apoio aqui